quarta-feira, agosto 10, 2005

Protesto

Uma passeata que sairá meio-dia desta quinta-feira, 11, da igreja dos Capuchinhos, com destino à Reitoria da Universidade Federal do Pará (UFPA), vai assinalar o protesto dos estudantes das escolas particulares contra a adoção, tal qual se deu, do sistema de cotas para o acesso ao ensino superior, que beneficia alunos da escola pública e negros e/ou descendentes diretos destes.
Professores e alunos das escolas particulares denunciam que, ao adotar o sistema de cotas sem aumentar o número de vagas, a UFPA simplesmente reduziu em 50% as vagas disponibilizadas para o contingente de estudantes que não se enquadra no critério de cotas. Com isso, argumentam, inevitavelmente a disputa passará a ser desigual, com facilidades - em função da lei da oferta e da procura - para os estudantes que se enquadrem no sistema de cotas.
Resumindo: as escolas particulares admitem o sistema de cotas, mas cobram da universidade o aumento do número de vagas oferecidas, de modo a tornar a disputa menos desigual.

2 Comments:

At 3:53 PM, Blogger 23x8 said...

São legítimas as razões da passeata.A decisão do CONSEP foi descabida,embora reveladora do estado das artes da ciencia e do posicionamento político das cientistas paraenses,o que reafirma a necessidade da extensão dos controles sociais - como os que estão previstos para controlar oJudiciário - sobre universidades e centros de pesquisa.
Too bad,como diria o doublê de contrabandista e jornalista Rômulo Maiorana.

 
At 9:35 PM, Blogger paroara said...

Seria também interessante saber quais as proporções de "brancos" na UFPa...
Seria interessante também saber a proporção de afro-descendentes que alimentam os cofres das escolas superiores privadas...
Depois essas pessoas em passeata... Ah, Nossa Senhora de Nazaré rogai por eles, que nada entendem de justiça social, nem de honestidade com relação as suas verdadeiras origens étnicas...
Cantam como disse um baiano tropicalistas... que "são todos pretos, ou quase pretos", mas não sabem por cegueira ideológica.

 

Postar um comentário

<< Home