sexta-feira, setembro 09, 2005

Ecos da crise

Da coluna "Painel", na edição desta sexta-feira, 9, da "Folha de S. Paulo" (acesso restrito a assinantes do jornal e/ou do UOL, no endereço eletrônico www1.folha.uol.folha.br.fsp/):

“Trancou a pauta

“Severino Cavalcanti (PP-PE) virou uma espécie de medida provisória. É quase consenso que nada poderá ser votado antes de resolvida a situação do presidente da Câmara. Nem mesmo o pedido de cassação de Roberto Jefferson (PTB-RJ).

“Ruim ou pior

“Um parlamentar de muitas legislaturas acredita que será dado a Severino escolher entre: a) renunciar e entrar na fila das cassações; b) não renunciar e tornar-se o primeiro da fila.

“Game over

“Avaliação de um ministro com assento no chamado "gabinete de crise": "Severino acabou"

“Sem escalas

“Adendo de outro inquilino da Esplanada: "Viajou presidente e vai voltar cassado".

"Mais um

“O governo, que já teme tanto e tantos, agora teme também "as barbaridades" que Severino possa dizer uma vez removido da presidência da Câmara.

“S.O.S

Prestes a ser colhido pelo furacão em Brasília, Severino resolveu incluir, no discurso que fará hoje em NY, menção de solidariedade às vítimas do Katrina, que devastou Nova Orleans.

“O mensageiro

“Quem conhece bem o presidente da Câmara duvida que ele chegará sozinho à conclusão de que não tem saída. Nesse caso, a inevitabilidade da situação lhe seria comunicada pelo "filho" Ciro Nogueira (PP-PI).

“Água no feijão

“Ao ouvir o empresário Sebastião Buani manifestar "orgulho" de seu restaurante, um deputado protestou: "Onde já se viu ter orgulho daquela porcaria de comida?". Em seguida, aliviou: "Também, pagando R$ 10 mil de "mensalinho" não deve sobrar nada para investir no negócio"

“América

“O Itamaraty arregaçou as mangas para socorrer Antônio Celso Cipriani, amigo de Lula e ex-dono da Transbrasil, que teve revogado pelos EUA seu visto de permanência no país.”