quarta-feira, setembro 07, 2005

Jabá: lá, como cá.

Na coluna "Painel" desta quarta-feira, 7, a "Folha de S. Paulo" (acesso restrito a assinantes do jornal e/ou do UOL, no endereço eletrônico www1.folha.uol.folha.br.fsp/) revela a ameaça disparada contra os jornalistas pela assessoria do presidente da Câmara dos Deputados, diante das denúncias envolvendo o deputado Severino Cavalcanti (PP-PE).
De acordo com a "Folha de S. Paulo", a assessoria de Severino ameaça divulgar um dossiê com nomes de jornalistas que teriam recebido verbas da Câmara irregularmente antes do mandato do atual presidente da Casa.
Sob o título "É guerra", a nota da coluna "Painel" diz: “Em represália às denúncias contra Severino Cavalcanti, a assessoria do deputado ameaça divulgar um dossiê com nomes de jornalistas que teriam recebido verbas da Câmara irregularmente antes do mandato do atual presidente da Casa.”
A ser verdadeira a versão da assessoria do presidente da Câmara, constata-se que lá, como cá, parcela de jornalistas costuma se alapardar no (escuso) banquete do poder, em troca de coberturas burocráticas e/ou bajulativas.
Aqui, às vezes em troca de uma mísera passagem Belém-Rio-Belém. Ou de alguma sinecura. Ou do salvo-conduto para o escancarado exercício do nepotismo.
Sob o título "Por um fio", a coluna "Painel" também revela o diagnóstico de José Maurício Cavalcanti, filho do presidente da Câmara dos Deputados, sobre a situação do pai: “Em conversa ontem com parlamentares, José Maurício, filho de Severino Cavalcanti (PP-PE), reconheceu ser "muito difícil" a situação de seu pai com o surgimento de documento que beneficiou o empresário Sebastião Buani na concessão de um dos restaurantes da Câmara.”

1 Comments:

At 8:02 AM, Blogger 23x8 said...

Que se vaõ todos.
Inclusives jornalistas,se assim estiverem envolvidos.

 

Postar um comentário

<< Home