sexta-feira, setembro 09, 2005

King Kong

Dizer que o deputado federal Wladimir Costa (PMDB-PA) pagou um mico, ao participar do “Programa do Jô”, na Rede Globo, é ser pra lá de condescendente. O que se viu estava mais para King Kong.
Além de exibir o corpo sarado e fazer a apologia do narcisismo, o parlamentar se limitou a folclorizar as coisas e a gente do Pará. De resto, forçou uma intimidade que não lhe foi concedida por Jô Soares e, é claro, aproveitou para expressar algumas de suas polêmicas opiniões, fundamentadas com a profundidade de um livro de auto-ajuda.
Resumindo: foi patético, para ser ameno.