quarta-feira, setembro 07, 2005

O imbróglio das obras na Catedral da Sé

"MPF vai investigar a reforma da Catedral" é a manchete desta quarta-feira, 7, do "Diário do Pará" (www.diariodopara.com.br), que remete à matéria sob o título "MPF vai investigar a reforma da Sé", assinada pelo jornalista Luiz Flávio. O noticiário do jornal revela que o promotor Benedito Wilson Sá, da Promotoria de Justiça de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Estadual, enviou à Procuradoria da República as informações coletadas sobre a reforma promovida pela Secult (Secretaria Executiva de Estado de Cultura).
A recuperação da Catedral da Sé tornou-se polêmica diante das divergências provocadas pelo projeto do secretário executivo de Cultura, arquiteto Paulo Chaves, acusado de manter uma postura autocrática, de absoluto desdém em relação aos questionamentos suscitados.
Em seguida, a íntegra da matéria do "Diáriom do Pará", em torno do assunto:
“Todas as investigações referentes ao polêmico projeto de restauração da Catedral de Belém ficarão restritas ao Ministério Público Federal. “Assim que fui informado do tipo de tombamento (nacional), interrompi o procedimento investigatório que havia instaurado e enviei todas as informações para a Procuradoria da República”, informou ontem o promotor Benedito Wilson Sá, da Promotoria de Justiça de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do MP Estadual.
“A Promotoria havia recebido ofício da Associação dos Guias de Turismo do Brasil (Agturb), seção Pará, pedindo intervenção do órgão no processo de reforma, considerado pela entidade obscuro. Para a Agturb, o projeto da Secretaria Executiva de Cultura (Secult) poderia trazer nuances que descaracterizariam a estrutura física do patrimônio tombado pelo governo federal. Como até o momento nem a Arquidiocese de Belém nem a Secult, responsável pela execução da obra, não tornaram o projeto público, surgiram várias especulações nas últimas semanas. Tais especulações acabaram por forçar a secretaria a suspender o início das obras, marcadas para o último dia 22/8. Por enquanto, não há prazo para que as mesmas iniciem.
“Benedito solicitou informações sobre o projeto ao Departamento de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Dphac) do Estado, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do Departamento de Patrimônio Histórico da Fumbel e da Arquidiocese.
“ADEQUAÇÃO - Segundo o promotor, tanto o Dphac quanto o Iphan asseguraram que o projeto não traria a descaracterização do templo e que a mudança dos aposentos do cura da Sé, padre Gonçalo, e dos outros quatro quartos destinados a visitas localizados na igreja se daria por questões de adequação e acessibilidade.
“Além de ratificar a versão da Secult e do Iphan, padre Ronaldo Menezes, secretário geral da Arquidiocese, chegou a informar ao MP que o espaço destinado aos aposentos do cura seria bem maior do que o atual e que, assim como os demais quartos, seriam transferidos da parte esquerda para a parte direita da igreja.
“Padre Ronaldo informou ainda que o local atual dos aposentos do cura não seria o traçado originalmente no projeto de construção da Sé. A transferência dos aposentos, ainda segundo informações dos órgãos consultados, seria para dar maior segurança ao templo. “Informaram que por questões de viabilidade técnica, a mudança era recomendada, tendo em vista que a localização atual é mais suscetível a estouro de canos e a acidentes com fiação elétrica. Garantiram que tudo seria feito sem mudança nas linhas estruturais da igreja. Agora, quem analisará o caso é a Procuradoria da República”, informou o promotor.”

1 Comments:

At 10:41 AM, Blogger açaí said...

Olhando Paulo Chaves de longe
penso,o hábito faz o monge
Tanto mexeu na cidade
que pra nossa felicidade
a justiça lhe controla os passos
prá ver se lhe reduz os espaços
Mas Chaves é um grande bundão
reconhecido pelo povão.

(Ei Barata,bundão pode né?)

 

Postar um comentário

<< Home