terça-feira, setembro 06, 2005

Planalto tenta salvar Severino

Em sua edição desta terça-feira, 6, a "Folha de S. Paulo" (acesso restrito a assinantes do jornal e/ou do UOL, no endereço eletrônico www1.folha.uol.folha.br.fsp/) também revela a mobilização do governo Lula para livrar o deputado Severino Cavalcanti (PP-PE), presidente da Câmara dos Deputados, da cassação.
Em seguida, a notícia:

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu ajuda ontem ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para tentar evitar que Severino Cavalcanti (PP-PE) venha a deixar a presidência da Câmara.
“Lula teme perder um político que atua ao seu lado na crise e que se mantém como um dos poucos interlocutores "confiáveis" do governo no Legislativo.
“O ministro Jaques Wagner (Relações Institucionais) recebeu orientação de Lula para atuar a favor de Severino no Congresso, dizendo aos aliados do Palácio do Planalto que o presidente da República é contrário à saída de Severino, pedida ontem por quatro partidos de oposição.
“Esse pedido foi feito após reportagens publicadas no final de semana pelas revistas "Veja" e "Época" segundo as quais Severino teria supostamente recebido um "mensalinho"de R$ 10 mil do concessionário de um restaurante da Câmara. Em nota na sexta-feira, Severino negou. Ontem, o concessionário do restaurante negou que tenha pago propina.
“Ao longo do dia, Wagner procurou dirigentes petistas e aliados para dizer que não aderissem às críticas a Severino. De tarde, Lula falou diretamente com Renan, demonstrando preocupação com o futuro de Severino.
“Para o governo, uma eventual saída de Severino, temporária ou permanente, abriria espaço para a oposição assumir o controle da presidência da Câmara, a posição mais importante e estratégica na Casa. Suas decisões interferem no andamento da crise política.
“A eleição de Severino para a presidência da Câmara em fevereiro passado foi uma derrota do governo -dois candidatos petistas perderam a eleição.
“Após meses de relação instável, ora boa, ora ruim, Lula atraiu Severino em definitivo em julho quando o presidente da Câmara indicou Márcio Fortes para ministro das Cidades.
“Desde então, Severino tem sido um fiel aliado do Planalto. Foi, por exemplo, uma das vozes contrárias a um possível impeachment de Lula quando a oposição aventou essa possibilidade. (KA)”