quinta-feira, setembro 01, 2005

Poder de mobilização

Não fosse o notório amadorismo da cartolagem, agravado por gestões temerárias, para dizer o mínimo, e certamente o futebol paraense estaria sob outro cenário. Uma evidência disso são as revelações feitas nesta quinta-feira, 1º de setembro, pelo jornalista Carlos Ferreira, em sua coluna em "O Liberal" (www.oliberal.com.br), ao comentar os números exibidos pelo Clube do Remo até a quinta rodada do Campeonato Brasileiro da 3ª Divisão.
O Clube do Remo, recorde-se, foi rebaixado para a 3ª Divisão ano passado, em um vexame pelo qual se responsabilizou publicamente o ex-vice-presidente azulino Ronaldo Passarinho, a eminência parda na mais recente (e patética) passagem do médico Ubirajara Salgado na presidência do Leão Azul.
De acordo com Carlos Ferreira, os números da CBF (Confederação Brasileira de Futebol)mostram o Remo como “campeão” e o Abaeté, também do Pará, como “vice-campeão” de público nas cinco primeiras rodadas da Série C do Campeonato Brasileiro. A torcida remista, salienta o colunista, produziu as duas melhores marcas até agora, favorecendo o Abaeté com o 2º lugar.
Carlos Ferreira salienta que o Remo é líder de público, com 51.185 pagantes nos jogos contra Abaeté e São José, no Mangueirão. O Abaeté subiu para o 2º lugar por conta do poder de mobilização da torcida remista, no jogo de sábado passado, 27 de agosto. O clube abaetetubense tem 18.457 pagantes. Média de 6.152 por jogo. O 3º colocado é o ABC, com 16.648 pagantes. Média de 5.549 por jogo.