sexta-feira, setembro 09, 2005

"Repórter Diário"

Da coluna "Repórter Diário", na edição desta sexta-feira, 9, do "Diário do Pará" (www.diariodopara.com.br):

“O inquérito da Polícia Federal, que apura a receptação de um aparelho roubado do hospital universitário Barros Barreto, foi encaminhado à Justiça Federal. O delegado Roberto Reis, responsável pelo caso, pediu à Justiça prorrogação de prazo para a conclusão. Em junho deste ano, um oxímetro de pulso, usado no pós-operatório de pacientes do hospital, estava sendo negociado com a clínica particular Prev-Saúde, quando o caso foi denunciado.

“Patrimônio

“Uma boa oportunidade para quem quiser reformar casas antigas, no centro histórico de Belém, será anunciada hoje. O Diário Oficial do Município publica edital do Programa Monumenta com as regras para financiamento de imóveis privados com vantagens incomuns, como juros zero e carência de dez anos para pagamento.

“Área restrita

“No total, serão cerca de R$ 2,3 milhões para recuperação de fachadas e telhados, mas só podem se habilitar imóveis localizados na área do programa Monumenta, que abrange a área do Comércio, parte da Cidade Velha e parte da Campina.

“Luz própria

“A festa do Sairé, que começou ontem, em Santarém, não viu a cor do apoio do governo do Estado. O mesmo tratamento teve o Festival das Tribos, em Juruti, no mês passado. Esses eventos, ironicamente, recebem mais atenção do governo do Amazonas. Em 2004, três aviões fretados naquele Estado aterrissaram em Santarém para prestigiar o Sairé.

“Platéia erudita

“Os críticos dessa desatenção com a cultura popular não se conformam que, enquanto isso, o governo paraense faça investimentos milionários em festivais de óperas, para satisfazer apenas a elite cultural e econômica no Estado.

“Vitrine

“A participação da Polícia Civil no 7 de Setembro serviu basicamente para que o governo mostrasse a nova frota de carros e motos, muitos ainda com os plásticos nos bancos. A exibição, entretanto, está longe de refletir a realidade das delegacias, diz o Sindicato dos Investigadores. Houve policial que desfilou a contragosto porque, no dia-a-dia, falta o básico. Quando tem viatura, não há combustível. No interior, é pior: falta até munição."