quarta-feira, setembro 07, 2005

Turbulências no Clube do Remo

Em sua coluna desta quarta-feira, 7, em "O Liberal" (www.oliberal.com.br), o jornalista Carlos Ferreira, com a elegância e o equilíbrio que se constituem em sua marca, faz uma sensata análise sobre os reflexos da crise - financeira e de credibilidade - sob a qual mergulhou o Clube do Remo, a partir do rebaixamento para a Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro, ocorrido em 2004, quando o Leão Azul foi comandado por Ubirajara Salgado e Ronaldo Passarinho, como presidente e vice, respectivamente.
Em seguida, o comentário de Carlos Ferreira:

Cobranças e promessas

“Jogadores ameaçados de despejo no hotel, falta de ônibus mudando programação de treinamentos, cobranças por salários atrasados, irritação do técnico Roberval Davino pelos problemas generalizados. Diante das cobranças que agitaram o Baenão, ontem, o presidente Rafael Levy fez desabafo nas entrevistas e promessa na reunião com jogadores e comissão técnica.
“Classificado à segunda fase da Série C, sendo um dos três únicos invictos no campeonato, o Remo poderia estar em paz, não fossem os transtornos provocados pela crise financeira. O clube se queixa da asfixia financeira imposta pela Justiça do Trabalho. Segundo o presidente Rafael Levy, dos R$ 97 mil arrecadados no jogo contra o São Raimundo-RR, o Remo não ficou com um centavo sequer. Sem dinheiro, o presidente precisou de argumentos, ontem, diante do elenco. Prometeu pagamento amanhã, antes da viagem da equipe a Tocantinópolis. O Leão vai de ônibus.
“A irritação de Roberval Davino justifica-se plenamente pelo acúmulo de funções. Ele sofre o mesmo desgaste de Válter Lima por ter que fazer os papéis de supervisor e até de diretor. Por isso e por todas as condições desfavoráveis de trabalho, reclama tanto da falta de estrutura no Baenão.
“A cobrança por salários atrasados é natural e inquestionável. Mas não pode ter o tom de chantagem. O dinheiro antes da viagem não pode ser cobrado como condição para o time jogar bem. O Remo nesta Série C tem o perfil de uma cooperativa: ou todos ganham juntos ou todos perdem juntos.”