quinta-feira, outubro 06, 2005

ELEIÇÕES 2006/O (inesperado) rompimento de Benedicto Monteiro com o PPS

A edição pela Secretaria Executiva de Cultura, para distribuição gratuita e massiva aos alunos da rede estadual de ensino, da “História do Pará” (considerada aliás uma das suas obras menores), teria sido o preço da adesão do escritor Benedicto Wilfredo Monteiro ao Partido Trabalhista Cristão, o PTC do folclórico Abdon, que no Pará serve de legenda de aluguel, a serviço do PSDB.
Essa, pelo menos, é a versão corrente no PPS, ao qual estava filiado Benedicto Wilfredo Monteiro.

Indignação

Foi com inocultável indignação que a direção estadual do PPS tomou conhecimento da defecção de Benedicto Wilfredo Monteiro, ocorrida na sexta-feira, 30 de setembro. Até a véspera, 29, segundo relatos de militantes do partido, Benedicto Wilfredo traçava planos para sua candidatura ao Senado pelo PPS, nas eleições de 2006. O que fez soar a fisiologismo sua opção pelo PTC.

Pretexto

O pretexto alegado por Benedicto Wilfredo para migrar para o PTC, relatam fontes do PPS, teria sido o suposto autoritarismo do deputado estadual Arnaldo Jordy, presidente regional do partido no Pará. A justificativa é rebatida com veemência, até porque nunca houve nenhuma divergência entre os dois, acrescentam as mesmas fontes.
A versão de Benedicto Wilfredo, conclui a direção estadual do PPS, serviu apenas como álibi para um ato de perfídia política, que compromete a biografia do escritor, que é também político.

2 Comments:

At 11:46 AM, Blogger 23x8 said...

A babação de O liberal com o probo governador Jatene,como diz o Barata,está proprcional aos cobres do poder público que tilintam nos cofres dos abjatos proprietários daquela,permita-me blogueiros,casa de tolerância.

 
At 8:15 PM, Blogger paroara said...

O PPS do Pará cabe todo numa Kombi. Benedito Monteiro saiu dele para entrar no Fusca do Abdon.
Num caso e noutro, nosso escritor talentoso confirma a decadência política em que se encontra há anos.

 

Postar um comentário

<< Home