domingo, outubro 02, 2005

Maracutaia petista 2

Em sua edição deste domingo, 2, "O Globo" (oglobo.globo.com/jornal/) também noticia que Sílvio Pereira, ex-secretário-geral do PT, admitiu em entrevista publicada na edição de hoje da “Folha de S.Paulo” que todos os 21 integrantes da executiva nacional do PT sabiam do caixa dois do partido. Silvinho, que se afastou do cargo há cerca de dois meses, admitiu também que sabia do esquema paralelo de arrecadação de recursos do PT.
Em seguida, a matéria de "O Globo":

Sílvio Pereira admite que cúpula do PT sabia da existência do caixa dois

SÃO PAULO. Sílvio Pereira, ex-secretário-geral do PT, admitiu em entrevista publicada na edição de hoje da “Folha de S.Paulo” que todos os 21 integrantes da executiva nacional do PT sabiam do caixa dois do partido. Silvinho, que se afastou do cargo há cerca de dois meses, admitiu também que sabia do esquema paralelo de arrecadação de recursos do PT.
— Ninguém é hipócrita de achar que não sabia que existia caixa dois. Qual membro do PT não sabia? — afirmou o ex-secretário, que pela primeira vez confirmou o envolvimento da cúpula do partido no esquema.

Silvinho não poupou nem mesmo José Genoino

Entre os nomes que compunham a executiva nacional antes da crise política estão o senador Delcídio Amaral (MS), presidente da CPI dos Correios; a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy; o ex-secretário de Comunicação Marcelo Sereno; o deputado Paulo Rocha (PA), apontado como beneficiário de R$ 920 mil do caixa dois operado por Valério; entre outros. Silvinho não poupou nem o ex-presidente do partido José Genoino.
— Qual o membro da alta direção que não poderia supor que pudesse existir (o caixa dois)? — respondeu, ao ser perguntado do envolvimento de Genoino.
O ex-secretário, no entanto, poupou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o deputado José Dirceu (SP), que sempre controlou o partido com mão de ferro. Disse que Lula não se envolve com o partido e Dirceu não era dirigente partidário:
— Não quero falar do Dirceu, na medida em que ele não estava na direção do partido. Eu assumo a responsabilidade como membro da direção do PT, em que pese a direção do PT ter realmente a noção do que estava acontecendo.
De acordo com o ex-dirigente, que já se desligou do partido, a sua responsabilidade não era diferente daquela dos 21 integrantes da executiva.
— Eu assumo a minha responsabilidade política. A minha responsabilidade não é diferente da de nenhum dos outros 21 membros da executiva nacional do PT.
De acordo com Silvinho, os dirigentes petistas não sabiam exatamente a origem dos recursos, como afirmou em diversas oportunidades o ex-tesoureiro Delúbio Soares:
— A direção definia as prioridades: “Nós vamos investir nesse projeto, projeto A, projeto B, projeto C. Vamos fazer isso ou aquilo.” Agora, como captar esse recurso, de onde vinha, como vinha, como se fazia, aí ninguém, ninguém, ninguém, exceto o gerente, tinha essas informações.

Assédio a Delúbio vinha de petistas de todos os estados

Havia, segundo ele, muito assédio por parte de petistas de todos os estados a Delúbio Soares, para que fosse conseguido dinheiro para os diretórios estaduais.
— Agora, uma coisa era verdade: 27 estados bateram à porta do Delúbio. Por que os estados não assumem isso, pô? Todo mundo pegava no pé do Delúbio para arrumar recursos. Todo mundo, todo mundo. Agora ele está lá, sozinho. As pessoas não perguntam: “Bom, de onde vem esse dinheiro?” — disse.
O ex-secretário do PT disse ainda que devolveu ao dono da empresa GDK, César Roberto Oliveira, o jipe Land Rover que tinha ganhado de presente e não conseguiu vender.
— Finalmente eu consegui devolver o carro. Já assinei o documento, já passei para ele. Isso foi feito na terça-feira, às 14h — afirmou.