sábado, outubro 08, 2005

A partilha familiar dos cargos

A partilha dos cargos do governo do Pará, feita sob o signo do nepotismo, a primeira-dama, Ana Maria Chaves da Cunha Jatene, foi a avalista das nomeações de uma irmã, Rosa Maria Chaves da Cunha, que comanda com mãos de ferro a estratégica Secretaria Executiva de Educação; e de dois irmãos. Um deles, Philadelfo da Cunha Júnior, é secretário-adjunto de Educação; o outro, o comandante Cunha, pilota o jatinho de uso do governador. O poder que emana da primeira-dama explica o status do qual goza sua irmã, Rosa Maria Chaves da Cunha, secretária executiva de Educação. Rosa Cunha despacha unicamente com o governador, não recebe políticos e desconhece solenemente o secretário especial de Promoção Social, o ex-deputado federal Gerson Peres, presidente regional do PP no Pará, ao qual em tese é subordinada. Rosa Cunha sequer recebe os diretores das escolas da rede estadual de ensino, obrigados a tratar com os prepostos da secretária, designados de mediadores, muitos deles sem nenhuma afinidade com práticas pedagógicas, segundo queixa corrente.
Heliana da Silva Jatene, a ex-mulher do governador, notabilizada pela voracidade por cargos, patrocinou as nomeações de parentes e contraparentes em funções privilegiados do governo estadual. Sob o seu aval, uma das suas irmãs, Heloisa da Silva Mota Pereira, foi aquinhoada com o cargo de secretária adjunta da Secretaria Executiva do Trabalho e Promoção Social (Seteps), na qual introduziu ainda, como diretora, outra irmã, Heliene da Silva; um cunhado, Paulo Sérgio Mota Pereira, médico e marido de Heloisa da Silva Mota Pereira, foi nomeado diretor-presidente da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará; uma outra irmã de Heliana, Helena da Silva Silveira, foi acolhida na Escola de Governo, da qual migrou, com vantagens salariais, para a empresa pública Processamento de Dados do Estado do Pará (Prodepa); e um outro cunhado, Haroldo Bezerra (casado com Helielza da Silva Bezerra, irmã de Heliana), foi contemplado com o cargo de diretor-presidente da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa).
A ex-mulher do governador não ficou circunscrita ao nepotismo, exercitando ainda, com igual desenvoltura, o tráfico de influência. Por gratidão, conforme já declarou abertamente, ela avalizou a nomeação, como diretor-presidente da Imprensa Oficial do Estado, de Altino Tavares Pinheiro, empresário da indústria gráfica, que em seu apogeu empregou o pai de Heliana da Silva Jatene.