sexta-feira, outubro 07, 2005

PAULO ROCHA/A opção pelo papel de ladrão de sabonete

Certos atos, quando não depõe contra as biografias, dizem tudo sobre elas. A reflexão vem a propósito da iniciativa do deputado federal Paulo Rocha (PT-PA) de distribuir uma espécie de prestação de contas sobre a suposta destinação do dinheiro por ele embolsado do propinoduto operado pelo empresário Marcos Valério, na esteira da sucessão de maracutaias que, descobertas, esfarinharam o discurso ético do PT e a credibilidade da legenda.
Diante das evidências, que sinalizam a utilização do dinheiro público para financiar as campanhas do PT e dos aliados deste, a postura do parlamentar petista, que aparentemente prefere passar por um pobre coitado ladrão de sabonete, ganha os contornos da mais arrematada desfaçatez e soa como escárnio aos eleitores. Com uma arrogância que faz lembrar o ex-governador paulista Paulo Maluf, Rocha insiste em tentar impingir a versão de que a dinheirama desaguada nos cofres petistas e dos aliados da legenda é apenas um caixa dois, crime menor na hierarquia penal. Isso quando já se sabe, conforme revela a coluna “Painel”, na edição de hoje da “Folha de S. Paulo” (www1.folha.uol.folha.br.fsp/), que a CPI dos Correios chegou aos números finais da "conta-mãe" de Marcos Valério, alimentada com dinheiro de estatais, empresas privadas e prefeituras. Ela movimentou, revela a “Folha”, R$ 72 milhões, dos quais quase R$ 60 milhões acabaram repassados a deputados.
Especialista em espertezas, mas com notórias dificuldades em lidar com conteúdo, o que faz dele um mensageiro das simplificações de palanque, Rocha tropeça em suas próprias trapalhadas e agride a inteligência de cada um de nós com justificativas que soam mais a escárnio, de tão simplórias que são. Na esteira de suas estripulias o deputado acaba opor desembocar no patético papel de mensageiro da dissimulação, a zombar particularmente daqueles que acreditam na ética que o PT, nos palanques, os induziu a cultivar.
Sabemos todos, desde sempre, que o PT nunca respeitou seus próprios dissidentes, como também, conforme só descobriu-se recentemente, sequer respeitou os mais elementares escrúpulos. Mas certamente não será demais pedir que respeite aqueles que nada têm a ver com as práticas escusas da legenda, que permanece no clima junino das quadrilhas, mas daquele tipo de quadrilha de caráter nada lúdico.

2 Comments:

At 7:16 PM, Blogger paroara said...

Barata,duas questões a ponderar e um pedido:
1)suas ponderações, ao serem marcadas por acusações genéricas ao Deputado Paulo Rocha ("especialista em espertezas", por exemplo), terminam por não esclarecer ao leitor sobre qual a exata responsabilidade do Deputado Paulo Rocha, deixando ao leitor uma sensação de que a crítica prescinde de isenção, o que não condiz com sua reputação profissional.
2)quanto as nascentes do propinoduto de Valério, creio que é muito cedo para considerarmos válida uma conclusão tirada por uma estrutura de forte animação política como é a CPI. Prefiro que esse dado (melhor considera-lo dessa forma)seja validado como informação por instituições da inteligência policial e do controle interno.
3) essa ponderação se fundamenta em que as CPIs, que hoje investigam possíveis ilícitos e ilegalidades relacionadas ao governo Lula e ao PT, no fundo deixaram de lado os fatos que as inspiraram e se tornaram bunkers políticos equipados com metralhadores giratorias com miras multifunção, denunciando assim interferências com objetivo mesquinhamente eleitoral.
E assim chegamos ao pedido que a opinião pública não pode ser negado:
Publique a tal prestação de contas do Deputado Paulo Rocha, para que nós, seus leitores, possamos julgar o dito pelo não dito, para que não paire qualquer dúvida quanto aos fatos que pesam sobre a reputação do deputado federal paraense.
Não há nesse pedido justificativa para negação, porque inexiste a preservação de sigilo da fonte. Trata-se de transparecer as explicações de uma autoridade pública sobre atos públicos que ela cometeu- ou que lhe estão sendo imputados-, que, por coerência,são do interesse da sociedade.

 
At 11:15 PM, Blogger açaí said...

Paroara usa sapato bico fino
Daquele que mata barata no canto
Encurrala o dono do blog,mofino
Barata ,se fugir, perde o encanto
Publicar a prestação do deputado?
Esqueça!Barata se faz de rogado
Até o ombudsman,cansado, abriu
Pressionado,Barata come abiu.

 

Postar um comentário

<< Home