sábado, outubro 08, 2005

Prece à Nazaré

Senhora de Nazaré, sei que o momento é de festa, mas precisamos fazer algumas reflexões. Uma espécie de queixa sobre alguns irmãos e irmãs. Mãe sempre ouve as lamentações dos seus filhos e de suas filhas. Pois bem: algumas coisas estão nos afligindo.Veja o mundo, está economicamente estranho e a culpa é toda nossa, que nos danamos a comprar tranqueiras da China só pelo prazer de consumir. A maioria do que se compra vai para o lixo, aumentando (e muito!) os problemas ambientais.
Mas o Brasil, acredite, mesmo assim, está melhor. Não parece, mas está. Quem acreditaria há alguns anos atrás que um rico fosse parar na cadeia? Mas isto é assunto para uma cúpula divina debater e avaliar. Nada de grandes expectativas.
Por outro lado, o Pará, berço da tua maior festa, parece estar sofrendo da síndrome de Estocolmo. Existem indícios fortes que há algo de muito errado. Mais do que sempre pareceu estar.

Aqui, informar à população dos fatos escabrosos (na política, principalmente) ainda não se tornou hábito comum, como deveria ser, já que vivemos num regime democrático. Contam-se meias verdades ou fica-se no silêncio – omisso e absoluto.
Senhora, o trabalho escravo no Brasil ainda existe! e o Pará tem sido um dos seus tristes cenários, coisa que felizmente o “Jornal Nacional” não perdoa: O mundo inteirinho fica sabendo! Nossos bens imateriais são descaracterizados; nossas divisas e riquezas naturais estão aos poucos desaparecendo. Isto sim, é o fim do mundo.

Por isso te pedimos, Senhora de Nazaré: não deixe que nos obriguem a aprender o mandarim. O inglês já é penitencia suficiente. Que a escravidão fique restrita apenas aos livros de história. Já basta a escravização oficial que impede o trabalhador paraense de ter uma melhor qualificação. Que a verdade, não seja apenas uma ficção.
Mãe, proteja também o teu povo que caminhará neste sábado e domingo pelas ruas desta tão linda mas abandonada Belém. Será uma benção se muitos dos teus fiéis saírem ilesos dos desníveis das calçadas, dos buracos que invadem as avenidas e os calçadões da Presidente Vargas.

Reconhecemos que são muitas as nossas carências. O que é uma heresia, pois o contraste entre um Estado tão rico com um povo tão pobre soa, fatalmente, a desperdício dessa riqueza tão cobiçada, e desperdiçar é pecado. Perdoa-nos por isso, também.

Mãe, como vê, precisamos da tua constante interferência, antes que seja tarde demais. Não nos deixe diante da omissão dolosa daqueles a quem, aqui, caberia reparar tantos desmandos.

Escutai, Mãe, as nossas preces. Amém.

Feliz Círio, para todos. (Laura Almeida*)

* LAURA ALMEIDA é assistente social e colaboradora deste blog.

1 Comments:

At 9:20 PM, Blogger açaí said...

Barata do marketing já sabe
Véspera do Círio ele abre
Caixa de Pandora?Ferramentas?
Escracha o tucanato,sem emendas

Maltrata o PT,porque?
Será que é Jáder?Vá saber
Dele não fala,tem recompensa?
Açaí é mais esperto que voce pensa.

(tá pegando,Barata,tá pegando!)

 

Postar um comentário

<< Home