quinta-feira, dezembro 15, 2005

Ação entre amigos 1

Multiplicam-se as queixas sobre a falta de convites aos que se interessam pelos espetáculos gratuitos exibidos no Teatro da Paz. A rapidez com que os convites se esgotam, sem nenhuma fila que possa sugerir ser tão expressiva a demanda, permite a ilação que a distribuição transformou-se em uma ação entre amigos, privilegiando os apaniguados da família Chaves e seus agregados, que comandam a Secult (Secretaria Executiva de Cultura) e o teatro, a ela subordinado.
O próprio critério de fornecer dois convites por pessoa é no mínimo questionável, vamos convir.

4 Comments:

At 8:01 PM, Blogger paroara said...

Ah, sim! O "dono" do teatro... que a lenda urbana registrou como notório saber operístico nesses tempos de decandentismo (até Reitor no Pará entra pela janela na Universidade!).
De qualquer modo, é pena que tal gênio musical jamais tenha registrado seu saber em qualquer registro legível. Seria desejável que o fizesse até mesmo por arroto ou flato que fosse, ouvido e cheirado por aquelas aves frívolas e peraltas, e mais os que oportunos, na oportunidade tucana desses doze anos, doutos conferem placa as diatribes teatrais de tão estranhas aves no poleiro dos Despachos.
Então - vale uma entrada para a próxima temporada - que saber tem esse scholar de opereta na terra das Icamiabas? Apenas é gerente de bilheteria para os amigos?
Olhem lá ... pouca vergonha é pouco.

 
At 9:05 PM, Blogger 23x8 said...

À exceção da menção sobre o reitor,não só compreensível (dado o desconhecimento do contexto da efetivação do dito na UFPA ) como pérdoável (pela looonga e coerente sequencia),Paroara voce é imbatível.É o melhor comentarista desse blog.Tiro-lhe o meu humilde boné.

 
At 9:42 PM, Blogger paroara said...

Tens razão. Alonguei o parágrafo, cativo que fiquei da imagem escatológica.
Quanto ao Reitor... é certo que a entrada dele na UFPA decorreu de medida legítima, derivada de uma greve vitoriosa de seus pares. Tratava-se naquela altura de por fim a prática da UFPa em se utilizar do conhecimento de professores não selecionados por mérito em concurso público.
A recordação da conseqüência imediata daquela greve representou, ao meu ver, o mais genial puxão de orelhas que um Reitor jamais recebeu de um seu par sindicalista nos últimos 20 anos.
Espera-se assim que doravante o Magnífico paraense calce as sandálias da humildade e reconheça que ele é - ao contrário do que esteve dizendo - a prova inconteste de que greves de docentes federais são conseqüentes.
Pela total originalidade desse entrevero de acadêmicos tal história merece compor o elenco de situações representativas do ano de 2005 - no Pará, no Brasil e quiçá no mundo.

 
At 6:10 PM, Blogger 23x8 said...

Só um reparo,Paroara:a loonga sequencia refere-se a sua participação no blog e não ao parágrafo do post.
Agora que os academicos são pródigos em brindar os mortais com estórias deliciosas de sua volúpia pela presunção de mérito,não há como negar.Eh eh

 

Postar um comentário

<< Home