sexta-feira, dezembro 09, 2005

Suspeitas provocam representação

O contrato que beneficia a Acepa com um faturamento anual de R$ 48 milhões é o de nº 98, celebrado em 21 de novembro de 2005, sem licitação. A transação despertou suspeitas no Sindicato dos Médicos e no Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, que encaminharam representações à Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, denunciando diversas irregularidades.
Para os procuradores da República que assinam a ACP, Rodrigo Telles e Ubiratan Cazetta, o governo do estado não poderia, por meio algum, transferir a administração de um hospital construído com dinheiro público para um ente privado. Para o MPF, trata-se de uma afronta à Constituição e às regras do SUS (Sistema Único de Saúde).